Está planejando uma viagem para Minas Gerais e quer saber o que fazer em Belo Horizonte? Encontre neste post todas as dicas de atrações turísticas da capital mineira e se surpreenda!

Belo Horizonte é uma cidade sem muito apelo turístico, não é mesmo? Não, a resposta é negativa!

Se engana quem pensa que BH é uma cidade de passagem para os outros destinos de Minas Gerais, pois há muito o que ver e fazer por lá.

Isso mesmo, Belo Horizonte reserva surpresas para os seus visitantes e tem muito para oferecer, seja em relação aos seus atrativos turísticos quanto a sua culinária, que é maravilhosa.

Ah, isso tudo sem falar no agradável jeitinho mineiro de acolher os turistas e transformar a experiência de todos que por lá passam.

Belo Horizonte é uma cidade segura – pelo menos mais segura que Salvador -, arborizada, repleta de cantinhos charmosos e com um bom sistema de transporte público.

Os dias que passamos por lá foram extremamente agradáveis e indicamos a todos que a coloquem na bucketlist, de preferência combinada com algum outro destino do estado, que tem atrações fenomenais.

Gostou da ideia e quer mais dicas? Não deixe de conferir as mais incríveis atrações de Belo Horizonte a seguir.

 

 

Praça da Liberdade e seus museus

 

belohorizonte1

Praça da Liberdade é um ícone de Belo Horizonte, não só para os turistas, como também para os locais.

Este foi a nossa atração predileta da cidade, não só pela sua beleza, mas também pelo complexo de museus que está ao seu redor.

A praça da liberdade foi construída na época em que a localização representava o ponto mais alto da cidade, na qual todas as construções se concentravam nos arredores da Avenida Contorno.

Portanto, representou local de destaque por muitos anos, tanto é que abrigava o Palácio do Governo e das Secretarias de Estado, todos em estilo arquitetônico neoclássico.

Os jardins da praça foram idealizados com base nos de Versailles e são super charmosos, mas a atração principal é o corredor de palmeiras imperiais simétricos e absolutamente estonteantes.

Nos arredores da praça pode-se apreciar o Edifício Niemeyer, construída na década de 60 pelo famoso arquiteto, a Biblioteca Pública e alguns museus que foram instalados nos prédios das antigas secretarias, que foram transferidas para a Cidade Administrativa.

O conjunto dos museus é denominado Circuito Cultural da Praça da Liberdade e por lá é possível visitar o Arquivo Público MineiroBiblioteca Pública Estadual Luiz de BessaCasa Fiat de CulturaCentro Cultural Banco do BrasilCentro de Arte Popular CemigEspaço do Conhecimento UFMG (Planetário)Memorial Minas GeraisMuseu das Minas e do MetalMuseu MineiroPalácio da Liberdade.

Nós, viajantes nerds de plantão, adoramos o Espaço do conhecimento da UFMG, onde estão o planetário e exposições científicas. Gostamos tanto que voltamos na noite dos museus para assistir a duas sessões!

Ah, não deixe de conferir a programação dos museus para o período de sua visita, pois pode ser que os horários sejam estendidos até 22 horas!

Se quiser visitar a praça e seus museus, separe pelo menos um turno para fazer o passeio com pressa. Se tiver interesse nas exposições e quiser apreciar com calma, separe um dia inteiro para esta região.

 

 

Mercado Central

 

img_1343 

O Mercado Central, que foi inaugurado em 1929 e conta com mais de 400 lojas é outro ícone de Belo Horizonte e, sem dúvidas, merece a sua visita.

Nós gostamos muito de visitar os mercados típicos dos destinos que visitamos, pois neles é possível entrar em contato com o que há de mais tradicional da culinária e da cultura do local.

Em Belo Horizonte não poderia ser diferente e, como de costume, separamos algumas horas para explorar com calma este universo mineiro de gastronomia, artesanato, moda, cachaças, doces e bares.

Verificamos que o mercado é frequentado por locais que vão para lá para aproveitar da gastronomia, da atmosfera dos bares ou até mesmo comprar produtos. O fato de o mercado não ser frequentado apenas por turistas é um indicativo de que o passeio é tradicional, imperdível e deve ser colocado em seu roteiro.

Por lá, caminhamos bastante pelos corredores que têm produtos incríveis como pimentas de todos os tipos, cachaças para todos os gostos, queijos típicos e muitas guloseimas. O interessante mesmo é não elaborar roteiro específico para conhecer o local e deixar-se levar pelas aromas e sabores encontrados por lá.

Duas das grandes atrações do Mercado Central de Belo Horizonte são os restaurantes consagrados pelo concurso Comida di Buteco.

Portanto, essa é uma excelente oportunidade para provar pratos típicos e exóticos servidos pelos restaurantes Casa Cheia, que destaca-se pelos pratos Mineirinho Valente e Almôndegas Exóticas e fígado com jiló, também pelo Bar da Lora, com seus premiados petiscos.

Ah, e como não falar do pão de queijo mais gostoso que já comemos na vida? Vale a pena passar no Roça Capital para experimentar o pãozinho saindo do forno e o café coado na hora. Uma delícia!

img_1361

Infelizmente, no meio de tantas coisas maravilhosas, há um corredor onde animais são comercializados em ambientes precários e evitamos passar por lá, por tratar-se de uma prática que nós condenamos. Felizmente, esta prática foi proibida em Salvador e esperamos que esta iniciativa sirva de exemplo para outros municípios!

O Mercado está localizado no centro da cidade, e abre de segunda a sábado de 7h às 18h e no domingo de 7h às 13h.

Separe pelo menos uma hora se quiser visitar o local com pressa e cerca de 2 a 3 horas se preferir passear com calma e até mesmo degustar das delícias gastronômicas típicas de Minas!

 

Savassi e Praça da Savassi

 

 

Savassi foi o bairro que escolhemos para nos hospedar e simplesmente amamos.

Central, seguro e agradável, assim é Savassi, um dos bairros mais nobres e frequentados de Belo Horizonte.

Por lá é possível encontrar diversas lojas, bares, restaurantes e boates interessantes e mesmo que não fique hospedado lá, vale a pena passear pela região.

Em especial, indicamos o restaurante Néctar da Serra, que serve comida natural, açaí e outras delícias, a casa de Doces Portugueses que oferece diversos quitutes em sua vitrine, a loja do Inhotim e a sensacional Pãodequeijaria, que serve pão de queijo com sabores diferentes a cada dia da semana.

Para a noite, a área mais movimentada fica nos arredores da Praça Savassi, que nada mais é do que o cruzamento das Avenidas Getúlio Vargas e Cristóvão Colombo. É importante ressaltar este fato para que você não vá esperando um local luminoso e com jardinagem impecável, pois o local é bem urbano.

O quarteirão da Rua Antônio de Albuquerque é fechado para carros e por lá há diversos bares e butecos para quem quer curtir a noite. É, sem dúvidas, um passeio imperdível para os visitantes.

Para explorar o Savassi separe pelo menos 3 horas e emende com a noite em algum restaurante ou bar.

 

 

Pampulha

 

 img_1420

A Lagoa da Pampulha talvez seja a atração turística mais emblemática de Belo Horizonte e merece o título de cartão postal da cidade.

Ela está situada em uma região distante do centro e tem os estádios Mineirinho e Mineirão, o parque de diversões Guanabara, um campus da UFMG em seu entorno, que diga-se de passagem é gigantesco.

Isso mesmo, a lagoa tem 18 km de orla, onde é possível andar de bicicleta e praticar exercícios físicos. Mas, saiba desde já que que é extremamente difícil caminhar por toda a sua extensão e que para visitar o complexo de atrações você possivelmente terá que recorrer ao taxi ou uber.

Além da lindíssima Igreja de São Francisco de Assis, também conhecida como Igreja da Pampulha, é possível visitar o complexo arquitetônico idealizado por Oscar Niemeyer e encomendado pelo antigo prefeito Juscelino Kubitschek nos anos 40. São eles o Museu de Arte da Pampulha – que na época da inauguração era um cassino, desativado em 1946 -, e a Casa do Baile, que fica numa ilhota e hoje abriga o Centro de Referência de Arquitetura, Urbanismo e Design.

Visitamos a lagoa em uma manhã de domingo e encontramos um encontro bem exótico de motociclistas vestidos de época.

img_1376

No passeio, aproveite para admirar as casas super sofisticadas da região, que são uma atração a parte!

Para visitor todas as atrações da Pampulha, separe pelo menos um turno.

 

Palácio das Artes, Parque Municipal e arredores no centro

 

 

Não tivemos a oportunidade de visitar esta atração, mas tivemos excelentes indicações do local, que trata-se de um complexo cultural encravado no centro da cidade, mais especificamente na Avenida Afonso Pena.

No Palácio das Artes é possível encontrar um teatro, cinema, shows, concertos e exposições. Vale a pena conferir a programação do período de sua visita a BH.

Bem próximo ao Palácio das Artes está o Parque Munipal, que é bastante movimentado, apesar de ser considerado perigoso. O local é bastante agradável, fica aberto de 06 a 18 horas de terça a domingo e vale um passeio bem tranquilo. Aproveitando a oportunidade, vale a pena também passear pelo entorno do centro comercial de BH.

Outra dica bem legal é que aos domingos funciona a Feira Hippie na Avenida Afonso Pena, que atrai locais e turistas para apreciar o seu clima descontraído e produtos diversificados. A feira ocorre toda semana entre 7h e 14h.

Também na região, vale a pena seguir pela Praça Sete, Avenida Amazonas até chegar na celebrada Praça da Estação, que conta com o prédio da antiga estação de trem e possui duas estações de metrô ainda ativas.

Dentro deste prédio funciona o Museu de Artes e Ofícios, que tem uma coleção focada no trabalho e funciona de terça a domingo, atraindo os turistas.

 

 

Praça do Papa e Parque das Mangabeiras

 

 

Punto Clube

Punto Clube

A Praça do Papa é um dos mais belos locais de Belo Horizonte, pois de lá é possível admirar uma bela vista da cidade.

Seu nome oficial é Praça Israel Pinheiro, mas foi apelidada de Praça do Papa, pois recebeu a visita do Papa João Paulo II em 1980. Nesta ocasião, o papa exclamou “que belo horizonte” na missa celebrada.

Ela está localizada no alto da Avenida Afonso Pena e conta com uma visão panorâmica da cidade e das montanhas da Serra do Curral. Se quiser, pode combinar a visita à Praça do Papa com a Feira Hippie, que ocorre todos os domingos na mesma avenida.

Nesta praça, costumam ocorrer celebrações ao céu aberto e os locais frequentam bastante o local.

Nos arredores da Praça do Papa está localizado o Parque das Mangabeiras, ao pé da serra do curral. Este parque tem 2,8 milhões de metros quadrados, muita área verde e 59 nascentes do Córrego da Serra.

Ele foi projetado pelo paisagista Roberto Burle Marx e tem diversos jardins lindíssimos. Sem dúvidas, é uma atração que merece uma visita com calma!

 

Inhotim

 

img_1296

A visita ao Inhotim é uma atração imperdível para quem visita Belo Horizonte.

O Instituto  abriga um complexo museológico com uma série de pavilhões e galerias com obras de arte e esculturas expostas ao ar livre e é uma das mais incríveis atrações que já visitamos no mundo!

Inhotim é a única instituição brasileira que exibe continuamente um acervo de excelência internacional de arte contemporânea e isso sem falar na beleza estonteante do complexo botânico do parque. Sem dúvidas, uma das mais belas partes de Minas Gerais!

 

 

Cidades Históricas

 

img_1712

Belo Horizonte é incrível e vale uma visita por si só, mas a verdade é que Minas Gerais tem tantas atrações incríveis que vale a pena combinar em uma viagem.

No entanto, uma boa ideia é combinar a viagem com uma visita às cidades históricas de Minas Gerais, como Ouro Preto, Mariana e Tiradentes.

Elas estão situadas a menos de 3 horas de distância e merecem sua atenção na elaboração do roteiro maravilhoso para Minas!
 

 

Como se locomover em Belo Horizonte

 

 Para verificar o post completo sobre como se locomover em Belo Horizonte, clique aqui.

Belo Horizonte possui metrô, mas as opções de linhas são bem limitadas e confesso que não vimos nenhuma estação em nossas andanças por lá.

Diante disto, as opções mais viáveis para os turistas são o taxi, uber e o ônibus. O aluguel de carro não é aconselhável, pois a cidade costuma ter engarrafamentos irritantes e você não vai querer passar por este stress em suas férias, não é mesmo?

A opção mais barata é o ônibus, porém esta é quase sempre a mais demorada e também a menos cômoda de todas. As tarifas variam de acordo com o destino e é possível consultar o Google Maps ou o site do serviço de transporte municipal para verificar as linhas adequadas.

Para saber como se locomover de e para o Aeroporto Confins, clique aqui e veja todas as dicas!


roteiros personalizados


seguro

Gostou das dicas? Deixe um comentário, nós adoraríamos ouvir você!