Elaboramos um passo a passo para ajudar você a planejar a sua viagem internacional de forma independente.

Não importa se é a sua primeira ou milésima viagem, as dicas aqui elencadas serão úteis para todos os tipos de viajantes. 

Venha conhecer a nossa lista super completa de dicas de organização de viagem.

 

1º Passo – Verificar a sua disponibilidade de tempo e o período de férias

 

O primeiro passo no planejamento de sua viagem é definir o período de suas férias e a sua disponibilidade de dias.

Este é um momento muito importante, pois a partir daí você vai poder pesquisar destinos de acordo com estação, clima, quantidade de dias para deslocamento, atrações e etc.

Por exemplo, não adianta planejar uma viagem para a Ásia ou Oceania se você tiver apenas 15 dias de férias disponíveis, pois só de deslocamento internacional você acabará inutilizando cerca de 3 dias, sobrando apenas 12 para aproveitar o destino final.

Não há uma receita de bolo para definir a quantidade de dias ideais para cada destino, mas sabemos que quanto menor o seu período de férias melhor aproveitada será uma viagem para mais perto, da mesma forma que se tiver uma disponibilidade de dias maior para as suas férias, você poderá se aventurar em destinos mais distantes sem medo, podendo aproveitar ao máximo a experiência.

Seguindo essa premissa básica você conseguirá planejar uma viagem de forma coerente e tranquila.

 

2º Passo – Defina o seu destino

 

A definição do destino de suas férias é um fator muito difícil, afinal de contas, a maioria de nós quer conhecer a maioria dos países do mundo e escolher um ou alguns é uma tarefa árdua.

Para definir o seu destino você deve ponderar as seguintes varíaveis:

 

– Sua disponibilidade financeira

 

Sabemos que os custos de viagem variam de acordo com o país escolhido. Há países com médias de custos super baixos, outros com custos super altos e outros com média de custos intermediários.

Você precisa saber qual a sua disponibilidade financeira para a viagem e de acordo com isso escolher o seu destino.

Não adianta querer conhecer a Suíça, um dos países mais caros do mundo, com o orçamento baixo, pois terá que sacrificar boa parte das atrações e experiências por lá. Não vale a pena escolher um destino que vai limitar as suas escolhas!

É possível conhecer os países da Ásia e América Central gastando muito pouco.

A maioria dos países da Europa e da América do Sul e do Norte exigem um orçamento intermediário.

Já países como Suíça, Japão, Emirados Árabes, países nórdicos como Suécia, Filândia, Islândia e Noruega são extremamente caros e exigem um orçamento alto.

Para economizar, uma boa ideia é viajar na baixa temporada de cada destino, pois os preços costumam ser mais baixos e as atrações mais tranquilas.

Para a Europa, viajar entre Setembro e Novembro é uma excelente oportunidade, pois o clima ainda está ameno, os preços estão mais baixos e você não vai estar sempre no meio da multidão.

 

– Clima

 

Outro fator a ser considerado na escolha de destino é o clima.

Você precisa definir se quer viajar para ter uma experiência com o frio e neve, se quer viajar para conhecer praias ou até mesmo se quer viajar para ver as flores da primavera ou as árvores alaranjadas do outono.

A depender desta definição, você vai escolher um destino que esteja alinhado com o clima desejado.

Hemisfério Norte

Primavera: 21 março até 20 junho
Verão: 21 junho até 20 setembro
Outono: 21 setembro até 20 dezembro
Inverno: 21 dezembro até 20 março

Hemisfério Sul

Primavera: 21 setembro até 20 dezembro
Verão: 21 dezembro até 20 março
Outono: 21 março até 20 junho
Inverno: 21 junho até 20 setembro

Você também deve pesquisar as especificidades de cada destino, pois alguns países têm características distintas da “regra geral” dos hemisférios.

 

– Interesses e perfil dos viajantes

 

Não basta pensar apenas em características objetivas de cada destino, pois o que importa no final das contas é se o lugar atende e se adequa aos interesses e ao perfil dos viajantes.

Uma praia na Tailândia pode parecer o destino ideal, de acordo com as condições climáticas e com o seu orçamento, mas se você gosta mesmo de montanhas, talvez seja melhor escolher um destino que tenha a ver com você.

Também deve ser ponderado fatores como a idade, limitações físicas e interesses dos viajantes para que a escolha do destino seja acertada.

Viajar com crianças eleva o rigor em relação à escolha do destino, pois é essencial que o roteiro tenha atividades que prendam a atenção dos pimpolhos.

 

– Idioma

 

Embora não seja um fator impeditivo, é sempre bom escolher destinos nos quais a comunicação possa fluir de forma mais tranquila.

Se você não fala inglês, talvez não seja uma boa idéia viajar para lugares em que a comunicação seja um problema, como por exemplo, Rússia e China. De qualquer forma, você pode sempre contar com a ajuda de guias que falem português.

 

3º Passo – Verificar quais são as exigências legais para a entrada no país e providenciar documentos

 

O trânsito de viajantes pelos países é regulado pela legislação interna e por Acordos e Tratados Internacionais.

De acordo com estes, o viajante pode ter maior ou menor dificuldade para ingressar em territórios estrangeiros.

Vejamos quais são os documentos mais importantes para um turista.

 

– Passaporte

 

O passaporte é o documento básico de identificação internacional.

Dentro do território nacional o Registro Geral (RG) e o Cadastro de Pessoa Física (CPF) são as identidades de um cidadão e no exterior o Passaporte será a sua identidade.

Tal documento, emitido pelo país de origem do viajante, dá segurança às duas partes envolvidas: ao turista e ao país que irá recebê‑lo.

Você vai precisar do seu passaporte para viajar para a maioria dos países, exceto os países integrantes do Mercosul, para os quais você precisa apresentar apenas um documento de identificação oficial.

Mercosul engloba os seguintes países: Argentina, Paraguai, Uruguai, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela.

Para saber mais sobre como tirar o seu Passaporte, clique aqui.

 

– Vistos

 

Além do passaporte, alguns países exigem uma outra formalidade para a entrada em se território, geralmente chamados de vistos. Para pesquisar quais países exigem vistos, clique aqui.

A emissão dos vistos são de responsabilidade das autoridades estrangeiras e cada uma tem o seu procedimento. Vistos para o Canadá, Japão e Emirados Árabes, por exemplo, não exigem uma entrevista prévia, mas apenas envio de documentos.

Já os Estados Unidos implementou um procedimento próprio, com entrevistas e entregas de documentos. Clique aqui para saber todos os detalhes sobre o Visto Americano.

É importante ressaltar que os brasileiros não precisam de vistos para viajar a turismo para os países da União Européia.

 

4º Passo – Pesquise e estude

 

Se você quiser montar uma viagem de forma independente, saiba que terá que se dedicar ao seu plano.

Estudar e pesquisar é fundamental para que a sua viagem seja perfeita – ou quase perfeita -, pois só você será capaz de definir o que é relevante e o que não é interessante para a sua viagem.

Pesquise sobre as cidades, sua cultura e atrações turísticas. Defina o que é importante para você, se é dedicar tempo a museus, a compras, a relaxamento ou a caminhadas. Traçe o seu perfil de viagem e descubra um pouco mais sobre você durante o processo.

Há muito conteúdo na internet, em blogs de viagem e em fóruns de viajantes. Deixe o Google te guiar!

Você também pode fazer como eu, visitar livrarias e abusar dos livros de viagem. Tome um café enquanto estuda sobre o seu destino, garanto que vai fazer muita diferença!

Para alguns essa tarefa vai ser um sacrifício e para outros um grande prazer, mas o fato é que você precisa saber do mínimo do destino que vai visitar para que seja de fato considerado um viajante, não apenas um turista que passa pelos pontos principais para tirar fotos.

 

 5º Passo – Elaborar um roteiro coerente

 

Depois de definir o seu destino, de estudar sobre ele e de providenciar os documentos necessários, chegou a hora de traçar um roteiro!

A elaboração de um roteiro coerente é muito importante! Sei que você, assim como eu, vai querer conhecer tudo, não deixar nada de lado, mas calma.

Este é o momento de acalmar, de racionalizar e ponderar, para não cometer excessos que comprometam a qualidade de sua viagem.

Você precisa decidir:

 

– Vai focar em um país ou quer conhecer mais de um?

 

Algumas regiões são propícias para combinar destinos, como Europa e Sudeste Asiático.

Nestas regiões é possível se deslocar entre os países com muita praticidade sem gastar muito tempo e sendo assim, é até recomendável que você aproveite a oportunidade para conhecer mais destinos.

Desde que o transporte entre os países seja tranquilo, você pode e deve combinar destinos, mas se não for, é melhor focar em apenas uma área ou país para conhecer suas diferentes regiões.

 

– Como vai se locomover entre os destinos escolhidos?

 

A locomoção entre os destinos é algo que deve ser sempre planejado com prioridade.

Depois de decidir os países ou regiões que pretende visitar é hora de programar como se locomover entre eles para evitar desgastes desnecessários em sua viagem.

Na Europa, por exemplo, é muito fácil e prático se locomover de trem, mas esta não é a melhor opção para distâncias maiores, caso em que o avião surge como a melhor opção.

Para decidir o melhor meio de transporte para se locomover entre os destinos sempre utilizo e indico o site Rome2Rio.

Rome2Rio

Este site aponta para os usuários as diversas formas de locomoção com o tempo de viagem para cada uma. Clique aqui para acessar o site.

Você geralmente vai ter as seguintes opções: Aluguel de carro, trem ou avião.

 

  •  Aluguel de carro

 

Caso o transporte de carro seja a melhor opção, você pode contar com a ajuda de alguns sites e aplicativos.

 

– Para comparar preços e condições

 

O site Rental Cars faz uma pesquisa de preços e condições em diversas locadoras que operam no destino escolhido para ajudar você a fazer a melhor escolha.

rentalcars

Clique aqui para acessar o site.

 

– Para traçar rotas

 

O Via Michelin é um site que ajuda você a traçar a melhor rota entre os destinos, indicando pedágios, postos e muitas outras informações úteis para ajudar você.

viamichelin

Clique aqui para acessar o site.

 

  • Trem

 

O trem é uma excelente opção para se locomover na Europa. Para pesquisar as rotas e passagens geralmente utilizo o site da Rail Europe – clique aqui para acessar o site.

raileurope

Neste site você pode encontrar informações sobre duração da viagem, valor dos bilhetes e rotas existentes.

Faço a consulta neste site e compro as passagens nos sites das companhias específicas.

 

  • Avião

 

Para pesquisar trechos de avião, utilizo inicialmente o site de buscas gerais Skyscanner. Clique aqui para acessar o site.

skyscanner

O site indica a média de preço das passagens e a disponibilidade de rotas e assentos.

Depois de verificar quis companhias aéreas fazem os trajetos que escolhi, vou direto no site de cada companhia e compro as passagens.

 

– Low Cost na Europa

 

Para conferir as companhias Low Cost que fazem os trajetos entre cidades na Europa indico o site Flylc – clique aqui para acessar o site.

flylc

O layout deles não é muito intuitivo, mas as informações são preciosas para organizar um roteiro Low Cost!

Depois de checar quais são as companhias aéreas que operam voos low cost no período, você deve entrar nos sites de cada uma para comprar os bilhetes.

 

6º Passo – Montar um controle de  custos e gastos

 

É muito importante fazer uma estimativa de custos de sua viagem enquanto você está planejando, para evitar surpresas desagradáveis.

Faça um controle básico, com os itens mais importantes. Inicialmente é interessante fazer uma previsão de acordo com as suas pesquisas e a medida que for comprando e reservando a hospedagem, passagem e transporte atualize a sua planilha.

Os itens de sua planilha de custos devem ser: Passagem, Hospedagem, Deslocamentos, Alimentação, Transporte, Passeios e Compras.

Para a alimentação e transporte urbano estabeleça metas diárias de gastos. Para a Europa, sugiro 50 Euros por dia como média, podendo ser mais ou menos a depender de sua necessidade e disponibilidade.

 

7º Passo – Comprar passagens

 

Geralmente a passagem é um dos itens mais caros da viagem e por isso a compra deve ser feita com muita organização e cuidado.

É muito importante definir o seu roteiro com antecedência para verificar a possibilidade de comprar uma passagem multi destinos, com chegada em uma cidade e saída em outra.

Essa é uma ferramenta muito útil para organizar um roteiro coerente e sempre que possível verifique a possibilidade de emitir passagens desta forma.Só deixe de conferir essa possibilidade se você encontrar uma promoção incrível e imperdível.

Outra dica imperdível é a antecedência, sempre que possível organize a sua viagem com tempo. A melhor época para comprar a passagem é três meses antes da viagem, pois é quando as promoções e tarifas com descontos começam a ser disponibilizadas nos sites.

Para buscar passagens e consultar valores, uso os sites de busca Decolar e Submarino Viagens.

buscas

Diariamente – sim, sou viciada – consulto os sites Melhores Destinos e Destinos Imperdíveis para acompanhar as promoções. Se estiver esperando uma oportunidade para comprar a sua passagem, não deixe de conferir esses sites, pois sempre aparecem opções interessantes.

 

8º Passo – Pesquisar opções de hospedagem

 

Uma das principais decisões de uma viagem é a escolha da hospedagem, pois será ela que vai determinar a forma como você se sente acolhido em um lugar novo.

Cada viagem tem um clima singular e só analisando fatores como sua disponibilidade financeira, seus interesses de viajante e a rotina de sua viagem, que poderá ser decidido o melhor lugar para se hospedar.

Há muitas opções de hospedagem em diferentes categorias, como hostels (albergues), resorts, hotéis, pousadas, aluguel de apartamento e até acampamento.

Você deve definir qual o seu perfil de viajante e o que você espera da sua hospedagem para fazer a melhor escolha.

 

– Hotéis, Pousadas e Resorts

 

Um excelente site de buscas gerais de opções de resorts, hotéis e pousadas é o Booking.

booking

Através do Booking você pode consultar as opções de hospedagem, valores e disponibilidades, além de poder reservar diretamente no portal. O site é uma das plataformas mais completas e seguras de reservas de acomodação e é uma excelente ferramenta para o planejamento de viagem.

 

– Albergues

 

Se você estiver procurando uma opção de hostel (albergue), é bom procurar no site Hostel World, que conta com diversos estabelecimentos credenciados e oferece muita segurança na reserva.

hostelworld

O que mais gosto neste site é o fato de que podemos comprar um “seguro cancelamento” para não perder o valor já pago pela reserva em caso de desistência da viagem.

 

– Aluguel de apartamento

 

Para aluguel de apartamentos indico o incrível Air Bnb, uma plataforma com diversos apartamentos disponíveis para aluguel de curta, média e longa duração.

air

Já ficamos hospedadas em diversos apartamentos e indicamos muito a experiência. O Air Bnb vem transformando as perspectivas de viagem de muitos viajantes e é uma excelente opção.

Clique aqui para verificar o nosso post completo sobre o Air Bnb.

Você também deve consultar diversos blogs de viagens com dicas de hospedagem, pois dessa forma poderá ter certeza que as opções são de fato interessantes. Use e abuse do Google!

 

9º Passo – Definir roteiros diários

 

Para otimizar ao máxima a sua estadia no destino, procure sempre levar um roteiro diário para a sua viagem.

Traçar rotas fluídas facilita e muito a sua experiência nos destinos e te possibilita fazer uma viagem completa.

Eu sei, é muito complicado fazer roteiros que contemplem todas as atrações turísticas, mas você pode contar com a ajuda de blog como o nosso para traçar roteiros perfeitos para você.

Para elaborar roteiros diários você tem que considerar as seguintes variáveis:

– Tente dividir a cidade por regiões e conhecer uma ou algumas a cada dia, dessa forma poderá se locomover entre uma atração e outra a pé, afinal de contas essa é a melhor forma de conhecer de fato os lugares

– A melhor ideia é fazer roteiros contínuos e se programar direitinho vai conseguir pegar um transporte para chegar e para voltar para o hotel.

– Pesquise sobre horário de funcionamento das atrações, para não programar uma visita quando estiver fechado

– Estude o mapa do destino antes de sair de casa, pois desta forma terá mais capacidade para identificar oportunidades no roteiro

– Leve suas anotações para a viagem, elas serão muito úteis.

 

 

10º Passo – Seguro Saúde e Remédios

 

Seguro de saúde para a viagem não é um luxo, mas sim uma necessidade.

Não menospreze o valor de estar coberto por um seguro e torça para não precisar usar durante a sua viagem, pois isso significará que tudo correu bem!

+ Leitores do blog têm 15% de desconto na compra do seguro viagem. Para acessar todas as dicas e comprar o seu seguro clique aqui!

Cada seguradora oferece planos diferentes e cabe a você pesquisar qual o que mais se adequa a sua realidade.

Há planos específicos para idosos, para praticantes de esportes radicais e para os diferentes países.

Para Europa, o seguro viagem é obrigatório e deve conter cobertura mínima de € 30.000 para garantir a execução do auxílio médico em caso de doença ou acidente, valor estipulado por atender todos os países pertencentes ao tratado.

Se você planejar visitar os seguintes países, vai precisar de um seguro específico: Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Polônia, Portugal, República Tcheca, Suécia e Suíça. Quatro novos integrantes permanecem em fase de implementação: Liechtenstein, Bulgária, Romênia e Chipre.

shegen

Allianz

Seja como for, não saia de casa sem o seu seguro viagem, pois ele te dará segurança contra imprevistos em sua jornada.

Imprima e leve a carta que comprova a sua cobertura para apresentar na imigração se for necessário.

Dica: Alguns cartões de crédito oferecem o seguro de viagem totalmente grátis para os seus assinantes. Antes de contratar com alguma seguradora verifique com a sua operadora do cartão se esse serviço não está disponível para você.

Você também deve levar para a viagem os remédios que costuma usar, pois em seu destino você pode ter dificuldade para encontra-los.

Não deixe de fora um antialérgico, um antitérmico e um remédio para enjôo.

 

11º Passo – Dinheiro

 

Há quem prefira levar para a viagem todo o dinheiro em espécie e outros que preferem o Travel Card.

Eu já viajei das duas formas, e atualmente acho que a melhor ideia é dividir o seu dinheiro entre as diversas modalidades e sempre tenha “cash” em mãos.

É importante lembrar que o IOF cobrado no cartão de pré-pago é de 0,38% no carregamento, enquanto que nas compras feitas em cartão de crédito, incidirá IOF na proporção de 6,38%. Assim, caso tenha condições, vale mais a pena levar um cartão pré-pago carregado previamente para utilizar em emergências.

Verifique com a sua operadora de cartão de crédito se você tem taxas diferenciadas para saques internacionais. Se tiver, pode ser uma ótima ideia levar o cartão para fazer saques no exterior.

 

12º Passo – Mala

 

Já ouviu a expressão “Quem faz as malas de forma leve vai mais longe?”. Pois é, essa é uma verdade absoluta para os viajantes.

Eu sei, é muito difícil escolher o que levar e deixar tanta coisa linda para trás, não é mesmo?! Mas acredite, levar apenas o essencial e fazer uma mala compacta e leve faz toda a diferença em sua viagem.

Selecione itens básicos e chaves, que podem ser combinados entre si e leve apenas os calçados apropriados para a estação do ano.

 

– Pesquise sobre as restrições de bagagem das companhias aéreas.

 

No site das companhias aéreas você encontra uma relação sobre os itens e a quantidade de bagagens permitidas .

Quanto a bagagem, viagens internacionais é possível levar uma mala de mão pequena de até 5kgs e duas malas que podem ser despachadas de até 32kgs cada uma.

O que passar, seja peso ou bagagem extra, será cobrado como tarifa extra e os valores variam de acordo com cada companhia.

Em vôos internacionais, você precisa chegar ao aeroporto 3 horas antes do horário do vôo para despachar as suas malas e fazer o check-in

Em breve faremos um post específico para ajudar você a fazer as malas.

 

13º Passo – Costumes

 

Não saia de casa antes de pesquisar costumes básicos do destino a ser visitado para não ofender as pessoas e a sua cultura.

Você pode se deparar com algumas limitações de vestimenta, alguns costumes alimentares ou até mesmo de comportamento e deve se adequar a eles na medida do possível.

Não deixe de conferir também feriados e dias comemorativos, para não ter surpresas desagradáveis.

 

14º Passo -Relaxe e aproveite

 

Seguindo estes passos você conseguirá montar uma viagem perfeita de forma independente.

Não se esqueça de usar roupas confortáveis no voo e de levar em uma mochila ou bagagem de mão itens de higiene indispensáveis, objetos de valor, câmera e um hidratante labial.

Agora é só relaxar e aproveitar a experiência!

 

Se você achou todo esse processo muito trabalhoso, pode contar conosco para elaborar um roteiro personalizado para a sua viagem.

Entre em contato para entender como funciona a nossa elaboração de roteiros feitos sob medida e de acordo com o seu perfil de viajante!

 

 

roteiros personalizados


seguro

advert-image